sábado, 17 de março de 2012

Os shortinhos da Juju (e os meus também!)

Eis que eu me deparo com este post (http://juliapetit.com.br/moda/fenomenos-da-moda-o-microshorts-jeans/) escrito pela Jana Rosa (a moça é repórter daquele programa apresentado pela Carol Ribeiro na MTV e sempre teve blogs engraçadíssimos, como o finado “Casa da Narcisa” http://casadanarcisa.wordpress.com/, e o “Agora que sou Rica” - não consigo mais achar o endereço, enfim...), que muito me fez lembrar a minha “codinomeada” amiga Juju e todos os shortinhos que já passaram pela nossa trajetória.
Somos adeptas da “peça”, a Juju muito mais do que eu, diga-se de passagem, e em tamanho sempre centímetros a menos do que os meus e os de qualquer outra amiga (fato este que precisa ser constantemente registrado porque é simplesmente impossível deixar de irritar a Juju comentando o tamanho - minúsculo! - dos seus shorts), muito embora ela possa encurtar tudo - como encurta! - porque, além de pequenina, tem as pernas em dia, requisito máster número um para portar o dito.

Mas, voltando ao post, o que gostei foi o fato de a menina de nome pitoresco ter desvendado e matado a charada do shortinho jeans. Ele realmente não é sinônimo de elegância e criatividade fashion, especialmente por integrar os 10 itens clássicos e eternos do guarda-roupa da piriguete (sobre os outros nove ainda preciso pensar...), mas, atire a primeira pedra quem nunca “pirigou” - com classe.. - nesta vida!
O que falta em elegância e inovação sobra em charme e sex appeal, ou seja, o que mais você precisa para “pirigar” - finamente... - na balada!? Nada! O shortinho jeans resume todas as suas necessidades e garante o sucesso da empreitada.
O único que tenho (já houve outro, mas o bichinho não resistiu a uma década de carnavais seguidos e faleceu faz tempo...) está comigo há quatro anos e dele nunca irei me desfazer. Esse é de estimação! Ele surgiu na minha vida emprestado e depois dado - tamanha a nossa sintonia e ajuste - em uma longa viagem que fiz com a Isa, irmãzinha que já virou um mulherão. Era verão, fazia um calor do cão e eu descobri que, numa das piores malas que já fiz nessa vida, não tinha trazido um único short. A Isa - que também fez uma das piores malas da vida, mas por excesso: tudo o que você imaginasse existia, no mínimo, em número de quatro naquela mala... - salvou a pátria, emprestando - e depois deixando comigo, já que eu seguiria viagem e ela voltaria... - o que veio a ser um companheiro de muitas aventuras. Ele é de um jeans médio e tem as barrinhas viradas e costuradas para fora. É curto - não como os da Juju, claro... (!!!) - e por ser soltinho e nada justo, é muito confortável, deixando de lado o gênero do “pirigo”.
Com ele, já fui da praia à “phesta phyna”; já usei com camisa branca e chapéu panamá, fazendo o tipo elegante&tropical; com peruca azul e camiseta da mulher maravilha, no estilo a louca mais feliz da noite; com camisa xadrez, cinto pesado e rasteirinha, no melhor do meu bohemian chic; com pouca modéstia e muito sucesso, de um tudo e de todos os jeitos, e também com muitas boas memórias, já que foi com ele que eu conheci o meu marido!
É ou não é um acessório “pegador”!? Juju, querida, use e abuse, sempre, e quanto mais curto, melhor!

Um comentário:

  1. Ai que sensacional! Adorei e lembro muito da mulher maravilha hahaha

    ResponderExcluir